Tendências 2020: busca por imagem


Pode parecer um clichê usar aquela máxima do pensador Confúcio, de que “uma imagem vale mais do que mil palavras”, mas nesse meio é uma grande verdade. O poder da imagem no marketing é forte.

E hoje em dia temos muitos estudos que comprovam essa afirmação:

* 90% das informações transmitidas ao cérebro são visuais, e as imagens são processadas 60 mil vezes mais rápido no cérebro que os textos. (Fontes: 3M e Zabisco)
* 40% das pessoas respondem melhor à informação visual do que a um texto simples. (Fonte: Zabisco)

 


Os seres humanos são naturalmente atraídos para o conteúdo visual.

Quer se trate de uma imagem ou de um vídeo, as pessoas preferem consumir informações em formato visual, pois é mais atraente, e isso leva ao aumento do engajamento e melhor performance de um post.

O nosso cérebro processa as imagens simultaneamente e os textos são processados em sequência. Por isso é muito mais rápido absorver as informações visuais.

A fotografia nas redes sociais

Se uma postagem tem uma foto, a interação com ela tende a ser maior. Por exemplo, em uma rede social como o Facebook, o engajamento dos posts cresce com a existência de uma foto, aumentando as curtidas e também os comentários. De fato, o envolvimento em posts com imagens aumenta em cerca de 230%.

O mesmo acontece no Twitter, já que um tweet com foto recebe, em média, até 35% a mais de RTs. Diante disso, é possível entender o sucesso de outra rede conhecida: o Instagram.

Se você deseja anunciar algo na rede, entenda que um dos pontos principais deve ser promover a identificação com o público. E, em geral, a imagem é uma ótima forma de conseguir isso.

Por isso, a busca por imagens está cada vez mais próxima do usuário. Quer saber mais sobre essa tendência para 2020? Dá o play no vídeo abaixo!

Tendência 2020: busca por voz do Google

A pesquisa por voz, ou Voice Search, é nada menos que mais uma maneira de realizar pesquisas no Google, na Alexa ou na siri.

O objetivo desta pesquisa é fazer com que não percamos tempo digitando quando podemos pesquisar por meio da fala.

E não se assuste ao saber que essa maneira super tecnológica de buscar informações já se tornou o principal meio de pesquisa em muitos lugares do mundo, e é uma das tendências para 2020.

Por que é tendência?

Porque há uma demanda crescente por melhores interfaces de usuário, especialmente de clientes que não desejam depender completamente de um recurso de tela sensível ao toque para se comunicar com seu smartphone e querem ter telefones celulares com reconhecimento de voz.

Alto-falantes inteligentes

A revolução da pesquisa por voz foi catalisada através do aumento de alto-falantes inteligentes. Embora tecnologias comparáveis ​​estejam lá há vários anos. Em 2018, os negócios de alto-falantes inteligentes aumentaram mais de três vezes devido ao incremento dos aplicativos de pesquisa por voz do Amazon Echo e do Google Home. O porta-voz inteligente é quase dependente de comandos de voz para operar e condicionar as pessoas para resolver suas dúvidas e concluir suas tarefas com o uso de perguntas baseadas em voz.

Como interagir com comandos de voz em aplicativos móveis

Em palavras gerais, o sistema de reconhecimento de voz converte os termos falados em texto. Bem, esta é a ideia exata que é empregada para dar busca por voz em diferentes tipos de aplicativos.

Aqui está o procedimento de como integrar comandos de voz em aplicativos móveis:

* Inicialmente, o usuário dá entrada de voz para o funcionamento da aplicação, chamando o reconhecimento de voz e falando alto algumas palavras;
* Depois disso, essas palavras faladas são capturadas através de um microfone e processadas através do competente software de reconhecimento de voz, que as converte em texto;
* Em última análise, esse texto convertido é fornecido como entrada para o sistema de pesquisa principal, que fornece os resultados.

Nossa diretora, Mari Petek fala um pouco sobre o tema:

 

 

Gostou e quer saber mais sobre o assunto?
Contrate a Plin Digital:
Planejamento digital
Marketing de Conteúdo
Estratégia digital para o seu negócio
e-mail: mari@plindigital.com
www.plindigital.com
51 9 8225 0065

Tendência 2020: podcasts

Os podcasts são conteúdos que a gente escuta e pode vir a consumir em plataformas como o Spotify, por exemplo. Que recentemente divulgou alguns dados, mostrando que o número de podcasts para 2020 praticamente dobre.

Em 2019, quantidade de público consumindo este tipo de streaming foi duas vezes maior em relação a 2018.

A expectativa do Spotify é que, em 2020, 20% de todo conteúdo publicado na plataforma seja de conteúdo e não somente música.

O podcast é considerado uma forma de atrair público que tem como preferência ouvir e não ler.

Quer saber mais sobre podcast?

Dá o play no vídeo da Mari Petek:

Segundo estudo, 98% das empresas brasileiras não sabem explorar o e-commerce

Quando o assunto é marketing digital, ganha força a importância que ele tem para o mercado de tecnologia e o sucesso que pode proporcionar a um e-commerce, com técnicas próprias do ramo é possível deixar o e-commerce bem posicionado, fazendo com que ultrapasse seus concorrentes e aumente suas vendas.

No Brasil, as lojas online crescem e batem cada vez mais recordes anuais. Os empresários têm investido no mercado de e-commerce, já que no século XXI, as pessoas estão muito preocupadas com a otimização do tempo. Sendo assim, foi justamente por isso que os comércios online surgiram.

No mundo de sites de buscas por produtos, quem faz o diferencial são as empresas que respondem as diversas dúvidas e informações do consumidor de forma rápida e clara. Quando empresários investem e contratam uma empresa de marketing digital, a venda é garantida, pois se não estiverem preparadas para respostas e soluções, perderão muito de seus investimentos em marketing.

Um estudo feito pela The Boston Consulting Group, apoiado pelo Google, apontou que mesmo as principais companhias nacionais estão longe de aproveitar o poderio total do marketing digital. A pesquisa, realizada com mais de 60 empresas em dez segmentos diferentes, confirmou que o marketing digital ainda requer um longo caminho no país para ser totalmente eficaz.

A maioria das empresas (55%) ainda se encontram em estágio emergente, enquanto 37% são apontados como conectados, 6% nascentes e, em pleno aproveitamento (ou multimomento), somente 2%. “Apenas 23% das empresas integram os dados on e offline. 59% delas sequer possuem integração dos dados online”, afirmou o sócio do BCG.

Segundo pesquisa, a economia do país, nos últimos anos, trouxe desafios para muitos empresários, que buscam mais oportunidades de crescimento para sua empresa. O marketing digital deixou de ser opção e está sendo considerado o principal canal de investimentos para publicidade, utilizada por empresas de diversos portes e segmentos, devido às suas vantagens e diferenciais.

Para isso, é necessário realizar um planejamento com os objetivos da empresa, programar um planejamento de marketing digital para sua loja online, escolher uma boa plataforma para hospedar seu e-commerce, determinar as formas de pagamento oferecidas aos clientes, como débito, crédito, dinheiro ou cheque, implementar sistemas de segurança com certificados SSL para seu e-commerce, alinhar as informações da loja online com o estoque da empresa e utilizar estratégias de SEO para posicionar o seu e-commerce na primeira página do Google.

Ao utilizar uma boa estratégia de SEO, as chances de conseguir mais visitas em sua loja online são bem maiores, já que a função dessas táticas é ajudar o Google a lhe enxergar.

A PlinDigital pode auxiliar você nesta missão, tornando sua empresa mais lucrativa e, com aumento de vendas, garantindo ganhos cada vez maiores.  Quer saber mais? Entre em contato conosco.

A diferença entre Marketing e Publicidade e Propaganda


Não é muito difícil encontrar pessoas que confundem o conceito de Marketing, Propaganda e Publicidade. “Ah, eu já estou fazendo Marketing, estou postando meu anúncio no Facebook”, é algo recorrente de escutar de empresários nos processos de consultoria.

Mas será que Marketing se resume mesmo ao post em uma rede social? E o que seria então propaganda e publicidade? A mesma coisa? Adianto que não. Entender melhor esses três conceitos podem ser um passo decisivo para entender melhor as estratégias e usar – de forma mais assertiva – a publicidade, a propaganda e o Marketing ao nosso favor.

Mas o que é Marketing?

Se seguirmos a risca sua definição, vamos encontrar que “o Marketing é uma atividade, um conjunto de instituições e processos para criar, comunicar, entregar e trocar ofertas que tenham valor para os consumidores, clientes, parceiros e sociedade em geral” (definição da American Marketing Association). Trocando em miúdos, é uma série de estratégias e técnicas que buscam agregar valor a marcas ou produtos, de atender as necessidades do cliente. Toda empresa ela precisa suprir determinado problema, resolver uma situação e para isso ela precisa mostrar isso aos seus clientes.

Por isso, Marketing deve ser a essência de um negócio. Ele deve estar enraizado em todos os departamentos, tudo deve estar ligado. E uma frase que simboliza todo esse envolvimento é do David Packard, fundador da HP: “Marketing é importante demais para ser entregue ao departamento de marketing”. Ou seja, trata-se da espinha dorsal de uma empresa. Toda organização bem orientada e direcionada está fazendo Marketing em busca, justamente, de atender e comunicar seu público-alvo.

Hoje em dia, ao chegar em uma livraria ou colocar no Google, você verá um quase infinito arsenal de conceituações e ramificações para o Marketing. São ramificações que buscam explorar com mais detalhes cada uma das estratégias, muitas vezes, sendo bem crítico, são “o mais do mesmo” lançado com outro nomes para promover professores ou vender mais livros.

O que é Publicidade?

A publicidade é uma maneira de estimular o cliente a realizar a compra. É um dos meios de anunciar ou promover um determinado produto ou serviço. Nele se pode usar espaços comerciais como veículos de comunicação, redes sociais, outdoor, seus próprios consumidores através do boca-boca, enfim… existem dezenas de plataformas e meios para fazer o seu produto ou serviço ser conhecido. Para esse intuito, geralmente, a publicidade apropria-se de estratégias de persuasão como informar, mostrar vantagens, apresentar benefícios, fazer comparativos, informar preços, descontos, atiçar o medo, entre outros.

E a Propaganda, onde entra?

Você já deve ter escutado que a Propaganda e Publicidade são a mesma coisa. certo? E para falar a verdade, na prática, o mercado também considera isso. Inclusive, o CENP (Conselho Executivo das Normas-Padrão), que é a entidade criada para assegurar boas práticas comerciais entre Anunciantes, Agências de Publicidade e Veículos de Comunicação, indica que tanto a publicidade e propaganda tratam-se de “qualquer forma remunerada de difusão de ideias, mercadorias, produtos ou serviços”.

No entanto, quando vamos para os estudos acadêmicos, a diferenciação entre esses dois conceitos acontecem. A publicidade tem a intenção de promover empresas, produtos e serviços, enquanto a propaganda está no campo das causas e ideologias. Por isso a propaganda estaria mais ligado a questões que envolvem ideia, princípio, doutrina, causa ou prática. Por isso, atrelamos a Propaganda quando ela possui, por exemplo, o caracter mais eleitoral, governamental, religioso, relacionado à guerra. Exemplo: a propaganda eleitoral gratuita perto da eleição. Outro exemplo, a imagem do Tio Sam com o dedo apontado para frente na Primeira Guerra Mundial, que se tornou uma propaganda histórica emblemática.

* Com informações do Administradores

O que é e quais os benefícios de um infográfico? Confira!

Infográfico é uma ferramenta que serve para transmitir informações através do uso de imagens, desenhos e demais elementos visuais gráficos. Normalmente, o infográfico acompanha um texto, funcionando como um resumo didático e simples do conteúdo escrito.

Por isso com infográficos, é mais fácil compartilhar e entender informações complexas. Eles são ferramentas essenciais no mundo do marketing, que vem se tornando cada vez mais visual.

A vantagem do infográfico é a sua capacidade de ser personalizado visualmente de acordo com o tipo de público-alvo a ser abordado, tema, área de atuação, entre outros. Aliás, por ser uma ferramenta visual, a apresentação gráfica do infográfico é muito importante para a sua correta interpretação.

Um bom infográfico deve ser apresentado de modo organizado, facilitando a compreensão das informações nele contidas por diferentes níveis de pessoas, desde os técnicos até os leigos no assunto, por exemplo.

Quais são os benefícios de apostar em infográficos?

Infográficos representam dados estatísticos de maneira mais intuitiva e fácil de ser consumida, uma vez que traduzem ou expõem números de um modo mais agradável, até por que nada mais intimidador que linhas e mais linhas de dados e gráficos incompreensíveis;

Têm um potencial absurdo de se tornarem virais em vista da sua atratividade e facilidade de compartilhamento;

Por se tratar de sua natureza viral, número maior de pessoas irá ser redirecionado para a sua página, garantindo maiores oportunidades de atingir posições mais altas nos buscadores;

A disposição dos elementos nesse tipo de material facilita uma leitura mais dinâmica, pois cada informação possui seu determinado espaço na peça, sendo mais fácil de ser encontrada;

Os infográficos podem aumentar o tráfego do seu site em 12%;

Podem, também, ser ótimas ferramentas de branding, uma vez que você pode — e deve — usá-los para reforçar a identidade da sua marca.

Confira alguns modelos de infográficos criados pela Plin:

Você sabe o que é o Joyz? Descubra

O Joyz é o app de doações que faz a diferença de verdade!
É uma rede focada em ter como usuários apenas pessoas engajadas em fazer o bem e ajudar quem mais precisa. No Joyz seu clique tem valor: com impacto real, todos são bem-vindos a fazer ou receber doações em dinheiro sem taxas e sem pesar no bolso de quem doa! E nós, da PlinDigital, conversamos com a criadora do aplicativo: Juliana Ferreira.

Confere o que ela disse:

PlinDigital: Como surgiu a ideia de criar o Joyz?
Juliana Ferreira: Muitos de nós já havíamos passado por momentos de frustração ao tentar fazer o bem com doações, mas sem saber ao certo se a pessoa ou entidade iria realmente fazer bom uso do dinheiro. Até pq, é difícil encontrar alguém que realmente precise quando não temos um parente próximo ou indicação de amigos.
Percebemos que as pessoas que costumam fazer campanhas solidárias utilizam principalmente o Instagram e o Facebook para divulgação. Entretanto, apesar do alto engajamento nas publicações, as doações em si, que é o que realmente farão a diferença, são baixas. Os principais motivos apontados são vergonha de doar pouco e medo de doar para uma causa que não aproveite o dinheiro devidamente.
Assim, o Joyz app surgiu para ser uma rede que aproxima aqueles que precisam de ajuda daqueles que querem ajudar, ao mesmo tempo que pode ser uma empresa lucrativa.

PD: De forma resumida, o que é o app?

JF: O Joyz app é uma nova forma de fazer e receber doações filantrópicas. É uma rede de uso fácil e divertido, que possibilita doações a partir de R$ 0,10 (um Joyz) com um único click.
As campanhas do Joyz podem ser feitas não apenas por grandes ONG’s, por exemplo. Qualquer um que tenha uma causa do bem pode criar sua campanha, seja ela para ajudar um filho doente, um abrigo de animais, uma instituição de apoio a pessoas carentes, etc. Não temos a pretensão de mudar o mundo, mas acreditamos fortemente, que podemos sim, melhorar o ambiente ao nosso redor. O clichê de que se cada um fizer um pouco, faremos a diferença, é uma verdade máxima no Joyz.

PD: Quais as diferenças dele para sites de vaquinha?
JF: Um grande diferencial, é que no Joyz as campanhas criam laços fortes com os doadores, pois os usuários retornam constantemente ao app para ver novos posts, assim como costumam fazer no Instagram. Desta forma, eles doam frequentemente e surge uma relação de longo prazo, bem diferente do que ocorre quando alguém entra em sites de vaquinha, doa e sai, sem nenhuma interação.
Além disso, damos 40 Joyz bônus (R$ 4,00) aos novos usuários, para que eles já possam fazer as primeiras doações às causas que preferirem, assim que entrarem no app e sem botar a mão no bolso, até para entenderem melhor como é o app e como usá-lo.
Ressalto que tudo o que for comprado e doado em Joyz, é repassado integralmente às campanhas, que também não pagam nenhum tipo de taxa na hora de retirar o valor arrecadado. 😉

PD: Como usar o app?
JF: Basta o usuário baixar o app Joyz e criar seu perfil com foto e descrição.
Imediatamente, o usuário já receberá seus primeiros bônus para doar a quem preferir ou manter em seu saldo caso tenha entrado no app para criar uma campanha.
Ai, é só encontrar as causas que mais agradam ao usuário para doar seus bônus no botão roxo com um “J” que fica no meio de cada foto.

Segue aqui link que ensina como usar as funções básicas do app: Como usar o app Joyz

Teve tendências para 2018, no SXSW

Você acha que o futuro da mídia está nos smartphones? Esqueça. Segundo a futurista Amy Webb, professora da NYU Stern School of Business e fundadora do Future Today Institute, 2018 marcará o início do fim dos celulares inteligentes. A previsão foi feita em sua concorrida apresentação Tendências de Tecnologia para 2018, que lotou o auditório de 600 lugares na manhã deste domingo, 11, no SXSW, em Austin, Texas.

O prognóstico é a progressiva transição na próxima década da era dos computadores e celulares para vestir a tecnologia, usando comandos de voz, tato e voz. As mudanças devem radicalmente mudar a forma como se consome noticias, a começar pela postura corporal. “As pessoas podem se tornar mais sociáveis, não estaremos todos olhando para baixo como agora. Na China, você já pode sorrir para pagar suas compras, o sistema reconhece você”, exemplificou.

Outra tendência seria a fragmentação da internet, a partir da difusão de regulamentações em diferentes países: “Se vocês acham que temos um problema com fake news agora, vocês não sabem o que está por vir”, alertou a palestrante. Ao final da apresentação, ela divulgou o link para dois relatórios, com a compilação das tendências globais de tecnologia em 2018 e, também, seu impacto na área de mídia e jornalismo.

“Jornalistas precisam entender o que inteligência artificial é, o que não é, e o que isso significa para o futuro das notícias. Pesquisas avançadas em inteligência artificial têm progredido tanto, que hoje é um componente fundamental do nosso trabalho no Future Today Institute”, registra um dos trechos da publicação destinada a jornalistas. O documento também destaca elas estão presentes em todas as principais tendências do relatório, e é de vital importância que todos os tomadores de decisão na área do Jornalismo estejam familiarizados com os atuais e emergentes cenários de inteligência artificial.

Acesse os relatórios (em inglês):

Relatório Tendências de Tecnologia para Journalismo e Mídia 2018

https://futuretodayinstitute.com/2018-tech-trends-for-news/

Relatório Tendências de Tecnologia 2018

https://futuretodayinstitute.com/2018-tech-trends-annual-report/

Fonte: Letícia Duarte para Coletiva.net

Facebook: a Plin te ajuda a se reorganizar no meio dessa mudança toda

Recentemente o Facebook informou que vai diminuir as postagens com notícias que você vê. Se você é um usuário que está de saco cheio de ver anúncios e mais anúncios na rede, deve ter ficado bem feliz, mas você já pensou no outro lado? Naqueles usuários ou páginas que precisam anunciar no Facebook para manter sua relevância e assim continuar com seu bom andamento?

Para esses, essa medida do Facebook impactará diretamente em sua fonte de renda e até em manutenção de equipes e empregos. No entanto, é preciso entender o que essa mudança significa, seu motivo e qual o impacto ela trará para os usuários “comuns” e para as empresas.

O motivo

O dono e criador do Facebook, Mark Zuckerberg, explicou que a mudança veio a partir de reclamações de muitos usuários que não conseguiam mais acompanhar os posts de familiares e amigos na rede social, pois ela estava cheia de anúncios de produtos e notícias que, na opinião de muitos, não era relevante.

Outro fator, foi o propósito da rede social. Em sua comunicação oficial, Mark Zuckerberg reforçou que a missão do Facebook é conectar e aproximar o mundo, em suas palavras “bringing the world close together”, e o fato das publicações da sua timeline estar populada basicamente de vídeos e imagens de marcas não corrobora com isso.

As mudanças em 2018

Segundo o responsável pelo News Feed do Facebook, Adam Mosseri, as mudanças que acontecerão são as seguintes:

– As páginas de empresas perderão seu alcance;
– O tráfego por referência de páginas de empresas irá cair;
– O tempo de visualização de vídeos postados em páginas comerciais diminuirá.

Se sua página cria conteúdo relevante e que interage com o usuário, ela será menos afetada que aquela página que cria sem interação.

Reorganize-se

É muito importante que você esteja sempre atento às mudanças em todas as redes sociais, ou seja, é fundamental que sua empresa esteja presente em outros ambientes digitais (sites e outras redes sociais)

Para começar a reajustar suas velas o quanto antes, considere os seguintes fatores:

1) As redes sociais são um terreno alugado: adianta construir um edifício inteiro em um terreno que não é seu?
2) A importância da autenticidade: marcas precisarão ser mais autênticas do que nunca, precisarão adicionar um valor real ao seu público e produzir conteúdo com originalidade.
3) Redes sociais são para socializar: leve sempre essa máxima ao pé da letra.
4) Use o que aprendeu interagindo nas redes sociais para construir alicerces concretos.
5) Mantenha seu blog atualizado! (se você não tem um, está na hora de criar).
6) Por fim, mas não menos importante, questione-se sempre: que primeira impressão você quer passar para seu futuro cliente?

No entanto, se você ainda tem dúvidas sobre as mudanças que acontecerão no Facebook ou não sabe o que vai fazer para se tornar relevante na rede, entre em contato com a Plin ou deixe seu comentário. A gente ajuda você e seu negócio, .

Entrevista: a importância do marketing digital – Parte 1

A partir desta semana, nós da PlinDigital, estreamos aqui no blog uma série de entrevistas com pessoas que não são do mundo do Marketing Digital para mostrar a você que não precisa trabalhar ou estar neste meio para investir em comunicação digital.

Nosso primeiro entrevistado é Rodrigo Holler Petry, gerente administrativo e financeiro da Weco S/A Industria de Equipamentos Termo-Mecânico.

 

 

 

 

 

 

 

Confira:

Plin: Pra você o que é marketing digital?
Rodrigo Holler Petry: Forma de divulgação de produtos e serviços através de mídias sociais e meios, digamos, virtuais.

Plin: Qual importância que você para o assunto? Por quê?
RHP: Pessoalmente entendo como relevante, mas para a empresa em que trabalho tem especial relevância para um produto de uso de consumidores finais, enquanto os demais são para consumidores industriais ou PJ.

Plin: Você acredita que o marketing digital é o futuro quando o assunto é divulgação de serviços e negócios? Explique.
RHP: Sim, pois atinge de maneira dirigida os respectivos públicos-alvo, bem como pode ser feito de modo menos customizado, atingindo consumidores e mesmo não consumidores do produto/serviço divulgado.

Plin: Você tem alguma sugestão para a Plin?
RHP: Entendo que em qualquer negócio, o importante é tentar se colocar no lugar do cliente, com seus anseios e necessidades. Neste ramo da PLIN, pode ser especialmente relevante isso, pois via de regra os empresários têm limitado conhecimento da questão, e em vista do número crescente de ofertas nesta área, diárias e recebidas de diversas formas, por vezes cria uma confusão na cabeça destes empreendedores. Por isso, o importante é conseguir identificar o que cada cliente quer, conhece da questão, simplificando o assunto para um linguajar menos técnico e mais prático, direto. Com isso, creio que o cliente se sente mais confortável e vejo neste aspecto um importante meio de início de um relacionamento de fidúcia e longo prazo.