5 erros de marketing digital que você não deve fazer

Há apenas cinco anos, o marketing digital era considerado uma reflexão tardia ou uma adição a uma campanha de marketing. Você pregou o exterior, os spots de TV foram limpos e polvilhados e os materiais do ponto de venda estavam na impressora. Mas é melhor fazer algumas postagens no Facebook, apenas para cobrir as redes sociais.

Os tempos mudaram. Agora, o marketing digital é a pedra angular de todas as campanhas publicitárias e ocupa uma parte significativa do orçamento. No entanto, o pêndulo oscilou tão longe e com tanta rapidez que agora o marketing digital está sendo analisado através de antolhos. O foco geralmente é muito estreito e, por sua vez, os resultados são fracos ou confusos. Mas mude seu paradigma e você poderá criar algumas campanhas digitais surpreendentes.

Não pense apenas digitalmente

Você estará envolvido em reuniões com pessoas dizendo “o que estamos fazendo no social?” e “qual é o nosso plano para capturar mais curtidas e compartilhamentos?” Frequentemente, serão sugeridas idéias enraizadas no espaço digital. Esse é o pensamento míope.

Algumas das campanhas digitais de maior sucesso dos últimos anos vieram do que muitos considerariam a mídia tradicional; vídeos de formato longo (basta olhar para Dove ) e acrobacias de guerrilha (“Push To Add Drama” da TNT) podem, se executados corretamente, ter uma enorme pegada digital.

O marketing digital evoluiu a tal ponto que agora é uma via legítima para todos os tipos de distribuição de conteúdo, não apenas para postagens sociais. A grande questão é: como você gastará seu dinheiro para criar um splash digital? Você colocará tudo isso atrás de mídia paga, sites enganadores, postagens promovidas, bloqueios e conteúdo nativo? Ou criará algo que faz o mundo inteiro assistir e, por sua vez, gera uma torrente de conversas geradas por usuários nas redes sociais? Um grande golpe pode angariar milhões de dólares em impressões e custar uma fração do preço das compras nas mídias sociais tradicionais.Pense nisso.

Não confie em plataformas sociais para fazer todo o trabalho

O grande Howard Gossage escreveu uma vez: “Ninguém lê anúncios. As pessoas leem o que lhes interessa. Às vezes é um anúncio. ” Isso foi nos dias de mala direta , jornais e revistas, mas ainda é verdade hoje. De fato, devido à própria natureza das plataformas sociais, as palavras agora são mais poderosas em publicidade do que eram há 10 anos quando a cópia tinha um pé na cova.

As pessoas hoje são inundadas com mensagens em todas as plataformas de mídia social. Você não pode assumir que simplesmente colocar conteúdo disponível no Facebook, Twitter, Pinterest, Instagram e outros aplicativos populares fará com que você seja notado. Você está em um mar de barulho branco. Sua mensagem está apenas adicionando a isso. Como você vai se elevar acima e ser ouvido? O que você vai dizer que faz uma declaração? Todos nós vemos milhares de mensagens publicitárias todos os dias em nossos telefones, mas nos envolvemos apenas com algumas poucas. Você não pode confiar nessas plataformas sociais para fazer o trabalho por você.

O que você publica é muito mais importante do que onde você publica ou com que frequência o faz. Se destacarem. Se você não tem nada a dizer, não aumente o ruído branco.

Não trabalhe em silos

As agências de publicidade e marketing, bem como os departamentos internos de marketing, são compartimentados. É a natureza do negócio; isso não pode ser evitado. No entanto, a maneira como esses departamentos interagem diariamente pode ter uma influência maciça, negativa ou positivamente, em suas campanhas de marketing digital.

Ao iniciar uma nova campanha digital, converse com os outros departamentos. Qual é o planejamento do departamento de mídia? Existe uma grande campanha impressa e ao ar livre em andamento? Ao inseri-lo em sua campanha digital, você pode tornar o resultado final muito maior do que os dois trabalhando sozinhos. Talvez o RP esteja planejando um golpe que teria muito mais impacto em uma estratégia de compartilhamento social.

Se você chegar cedo o suficiente e colaborar, poderá obter muito mais impacto pelo seu dinheiro. Você pode até gastar menos e conseguir mais.

Não pule em novos aplicativos sem uma boa causa

“Oh, olha, um novo aplicativo brilhante! Com que rapidez podemos explorá-lo?” Um dos maiores erros que as marcas cometem com os novos aplicativos é tentar encaixar um pino quadrado em um buraco redondo.Quando o Vine foi lançado, havia algumas peças realmente terríveis de conteúdo de marca.Eles não entendiam o Vine, e isso foi mostrado. , mas ninguém se importava com a exibição de um clipe de seis segundos do seu logotipo.Era monótona.No entanto, a GE aprendeu o que o Vine pode realmente fazer e ganhou prêmios Shorty por seus esforços.

No momento, as marcas estão clamando para usar os aplicativos mais recentes, como Meerkat, Periscope, Super, Zoom Social e Graphiti. Alguns terão sucesso. A maioria tropeça e tropeça porque realmente não descobriu por que o aplicativo é relevante para a marca e a base de consumidores. Como aprender um novo idioma, leva tempo para você realmente se sentir confortável e entender o que está acontecendo.

Não gaste demais em tecnologia e economize em recursos

Seu cliente, ou sua própria empresa, descobriu que é impossível ignorar o digital. Não é mais um mal necessário e um pequeno item de linha no orçamento. No entanto, embora seus projetos possam estar recebendo o financiamento de que precisam agora, você não pode gastar todo o seu dinheiro com os gastos com tecnologia e mídia. Você não deixará dinheiro para os recursos que precisará desesperadamente.

Você não pode contar com estagiários não remunerados para fazer suas postagens no Twitter e no Facebook. Você não pode pedir ao gerente da comunidade que assista a vários canais e gaste 18 horas por dia suando até que se esgotem. E você não pode automatizar sistemas que requerem um toque pessoal. Quando as marcas usam autoresponders em redes sociais, os resultados podem ser involuntariamente engraçados ou absolutamente embaraçosos. Gastar dinheiro com talento e investir em pessoas, estratégias e tempo. Você crescerá com esse sucesso e, por sua vez, terá ainda mais dinheiro para gastar no futuro.

Contrate a Plin Digital:
Planejamento digital
Marketing de Conteúdo
Estratégia digital para o seu negócio
e-mail: mari@plindigital.com
www.plindigital.com
51 9 8225 0065

5 ferramentas de marketing digital gratuitas para empreendedores

A internet está cheia de ferramentas gratuitas de marketing digital para empreendedores, como você, tentando levar seus negócios para o próximo nível, sem prejudicar seus resultados. Com tantas ferramentas poderosas e gratuitas a apenas um clique de distância, o que você tem a perder? Suas informações pessoais, é isso.

A maioria das ferramentas gratuitas, apesar de poderosas, solicita muitas informações antecipadamente. Com uma mina de ouro de software útil disponível, é uma armadilha fácil de cair. Embora algumas ferramentas simplesmente exijam suas informações por segurança, a inserção de informações pessoais é um convite para receber spam incansável ou conteúdo de vendas excessivamente agressivo.

Reunimos uma lista testada e comprovada das melhores ferramentas gratuitas de marketing digital para empreendedores, cobrindo todos os aspectos de uma estratégia on-line. Em nossa experiência, essas 10 ferramentas da Web gratuitas protegem sua privacidade sem sacrificar a qualidade. Além disso, são fáceis de usar com o mínimo de habilidade técnica necessária.

Vamos mergulhar.

1. Gerenciamento e colaboração de projetos – Trello

Comunicar e definir expectativas de resultados, metas alcançáveis ​​e cumprir prazos para você, sua equipe ou partes interessadas é essencial para o seu sucesso, on-line ou off-line.

No passado, os esforços de gerenciamento de projetos aconteciam principalmente por email. Porém, as plataformas de email são muito limitadas e simplesmente não foram criadas para realizar as tarefas dinâmicas e de ritmo acelerado que as atividades de marketing digital exigem.

O Trello é uma das muitas ferramentas gratuitas de marketing digital para facilitar o gerenciamento de projetos. Exibindo cada projeto como um “quadro” contendo “cartões” com listas de verificação, a interface do usuário é fácil de navegar e entender.

Como a maioria das plataformas de software de colaboração, existem recursos pagos e atualizáveis, mas seu serviço básico gratuito inclui os recursos principais importantes e mais essenciais:

  • Fácil organização das tarefas do projeto, marcos e prazos
  • Integração de aplicativos de terceiros por “cartão”
  • Categorização de tarefas personalizável ou tags e rótulos de status
  • Funcionalidade de arrastar e soltar
  • Listas de verificação com gráficos de progresso
  • Filtragem de dados
  • Lembretes de prazo
  • Uploads fáceis de arquivos / anexos
  • Notificações por email
  • Registro de atividade
  • Criptografia de dados SSL (segurança)

Para a maioria das startups, o Trello é uma maneira simples e poderosa de organizar e planejar projetos de marketing digital.

2. Email marketing – MailChimp

O marketing por email fornece um dos maiores ROIs (retorno do investimento) de todos os outros esforços de marketing digital, simplesmente porque a coleta de endereços de email dos clientes é muito simples. Com ferramentas poderosas e gratuitas como o MailChimp, também é extremamente econômico.

O MailChimp fornece mais do que apenas funções de criação de campanhas. O plano Forever Free é totalmente gratuito para até 2.000 assinantes da lista e até 12.000 e-mails por mês. Inclui:

  • Funções de design de e-mail e upload de imagens fáceis de usar
  • Armazenamento de mídia
  • Modelos de design de email
  • Gerenciamento de listas com opções fáceis de segmentação
  • Formulários de inscrição
  • Serviços de auto resposta
  • Campanhas de gotejamento
  • Teste A / B
  • Analytics que revela CTRs, cliques, abre e muito mais
  • Dados do assinante com base nas taxas de envolvimento
  • Cálculos de tempo de envio ideais
  • Integrações de aplicativos de terceiros, como Google Analytics e mídias sociais

3. Pesquisa de tópicos do blog – responda ao público

Os blogs têm o importante objetivo de ajudar seu site a aparecer em classificações orgânicas ou não pagas nos mecanismos de pesquisa, o que é uma fonte importante de tráfego no site.

Para fazer isso com sucesso, no entanto, você precisa saber quais tópicos seus clientes em potencial estão procurando em relação aos seus negócios. O Answer the Public é uma ferramenta dinâmica que ajuda a descobrir os tópicos perfeitos do blog com base no idioma ou nas palavras-chave usadas pelos clientes.

Funciona de maneira semelhante a um mecanismo de pesquisa. Basta digitar uma palavra-chave em relação a um tópico que seus clientes possam pesquisar, como “tênis de corrida”. A ferramenta gera árvores de tópicos com base em consultas de pesquisa reais e questões de tendências comumente pesquisadas em relação à sua palavra-chave.

4. Marketing de mídia social – Hootsuite

Se sua startup está presente em várias plataformas de mídia social como Facebook, Twitter e Instagram, você não é estranho à quantidade enorme de tempo e coordenação que pode levar para pesquisar, debater, escrever, revisar, publicar e agendar suas postagens. Isso também não inclui esforços de envolvimento com seus fãs e seguidores.

O Hootsuite é uma ferramenta de marketing digital gratuita que se integra à maioria das plataformas de mídia social para que você possa fazer todas essas coisas em um só lugar. Ele fornece um tour guiado passo a passo para familiarizá-lo com o layout, para que você possa começar a navegar facilmente no painel rapidamente.

Embora existam alguns recursos que você precisa pagar para atualizar, o serviço básico do Hootsuite fornece os principais recursos que a maioria das empresas precisa, incluindo:

  • Publique postagens imediatamente
  • Agendar postagens com antecedência
  • Monitore seus feeds
  • Curta, comente e compartilhe postagens, tudo dentro do painel
  • Análise básica
  • Integre-se a aplicativos de terceiros como o Tailwind for Pinterest

5. Armazenamento e colaboração de arquivos – G Suite

Uma plataforma baseada em nuvem, o G suite inclui as ferramentas de produtividade simples e adequadas que você precisa para colaborar com ou sem acesso ao software Microsoft Office 365 com o qual você provavelmente está acostumado. O G Suite é totalmente compatível com a maioria dos arquivos do Office 365, mas os recursos mais simples e semelhantes fornecem apenas as principais funções necessárias para a realização do trabalho.

Os produtos no G Suite incluem:

  • Google Drive (armazenamento de arquivos)
  • Google Docs (processador de texto)
  • Planilhas Google (planilhas)
  • Apresentações do Google (apresentações)
  • Google Agenda (calendário)
  • Gmail (email)
  • Formulários do Google (criar e analisar pesquisas)

Os produtos do G Suite incluem recursos de rastreamento de revisão e salvar conforme o uso. Você pode convidar colaboradores para exibir ou editar arquivos por meio de links compartilháveis, para poder ver quem está trabalhando no arquivo ao mesmo tempo.

Embora você não possa acessar esses produtos em um aplicativo de desktop, desde que tenha uma conexão com a Internet, é possível acessar, fazer upload ou baixar seus arquivos no G Suite. Os arquivos criados e editados no pacote office são salvos no Google Drive, que oferece 15 gigabytes de armazenamento gratuito.

Certos aspectos, como armazenamento, podem ser atualizados por uma taxa adicional. Arquivos com até 5 terabytes de tamanho podem ser carregados no Google Drive e armazenados para uso posterior.

Contrate a Plin Digital:
Planejamento digital
Marketing de Conteúdo
Estratégia digital para o seu negócio
e-mail: mari@plindigital.com
www.plindigital.com
51 9 8225 0065

Facebook: novo layout

O Facebook está mudando de layout. E as algumas pessoas já foram convidadas para testar esse novo “modelo”.

As mudanças foram anunciadas em abril de 2019, mas só agora elas estão à disposição de usuários considerados betas para plataforma.

Na história do Facebook, houve quatro grandes reformulações.

O mais recente, o FB5, também conhecido como The New Facebook, pode ser o mais dramático de todos. É uma mudança total na aparência e no funcionamento do Facebook em computadores e dispositivos móveis.
Ele ainda apresenta um modo escuro em todo o site. Não tenha um colapso ainda. Faz muitos anos desde que uma enorme mudança de design chegou ao Facebook, então essas notícias são bem-vindas e muito necessárias, mesmo que sejam estridentes.

Entre as mudanças, destacam-se duas:

Modo escuro:

A usabilidade do Facebook permanece a mesma, mas o tema escuro deixa a experiência de uso na plataforma mais confortável, sobretudo para quem gosta de assistir a vídeos no Watch.

Para ativar o tema escuro, basta clicar na sua foto de perfil com o novo design ativado e selecionar “Modo escuro” no menu que irá abrir. Essa opção altera por completo o visual do Facebook, como o perfil, as comunidades, os grupos e também o feed de notícias. O recurso é compatível com qualquer navegador e não requer nenhum requisito mínimo para funcionar.

Menu da esquerda com ênfase para busca e vídeo:

Agora ficou mais fácil encontrar o que tudo que você procura. Mas você deve estar se perguntando o que isso tem a ver com seu negócio? Confere o vídeo que a Mari Petek fez.

Contrate a Plin Digital:
Planejamento digital
Marketing de Conteúdo
Estratégia digital para o seu negócio
e-mail: mari@plindigital.com
www.plindigital.com
51 9 8225 0065

A importância do SEO no marketing digital

Planejar uma campanha de marketing digital é uma atividade intensa, que requer muito planejamento. Na função de de consultor de e-commerce, eu acompanho muitos sites que não passaram por um planejamento típico. Afinal, é difícil e trabalhoso fazer!

O resultado que se vê é um custo de aquisição de cliente (CAC) altíssimo, desconectado da realidade do negócio. E assim, inviabiliza ou atrasa o crescimento do negócio.

Por esse motivo é comum que a imprensa especializada trate as visitas vindas do Google, visitas orgânicas grátis, como uma solução mágica. “Faça SEO e multiplique suas vendas sem custo!”. A verdade não é bem assim, principalmente para o pequeno empresário que precisa fazer tudo sozinho ou tem uma equipe pequena.

Eu insisto que SEO é um processo fundamental em qualquer estratégia sustentável de marketing digital. É preciso pensar em formas dos clientes chegarem até sua loja ou negócios sem precisar pagar mais por isso. Esse mantra vale para todo tipo de negócio, não apenas e-commerces. É necessário pensar a respeito até mesmo se você o negócio for um hotel, farmácia ou mesmo costureira!

Empresas que não em atrair os visitantes da busca nisso eventualmente acabam sendo engolidas por custos de cliques inflacionados, baixo movimento e podem precisar fechar suas portas.

Projeto de E-commerce do SEBRAE/RS

Neste ano tive a honra de integrar o time de consultores de e-commerce o SEBRAE/RS, dentro de um programa direcionado a pequenos lojistas online. Meu objetivo era ensinar aos empresários e suas equipes diminutas como fazer para otimizar seus sites para buscas orgânicas.

Para que garantisse o aprendizado, eu desenvolvi uma metodologia bem específica baseada em 20 anos de trabalho na internet, mas voltada para E-commerce, com execução viável, adequada para qualquer tipo de e-commerce. Mais do que este artigo, a experiência também deu origem a um curso de SEO para E-commerce (https://seoparaecommerce.net.br/).

Muita estratégia e SEO onpage

Ao contrário do que vão dizer 10 entre 10 gurus, um dos maiores problemas de SEO para E-commerce não era a plataforma. Nem a falta de tags ou qualquer outra coisa misteriosa.

O maior problema sempre foi e continuará sendo a falta de estratégia!

Em todos os atendimentos, bastava explicar que SEO é basicamente realçar o que as pessoas buscam no Google para que os lojistas começassem a me questionar das melhores formas de fazer.

“Publique suas descrições de produto atendendo à relevância de cada termo na busca”. Em termos práticos, se você for vender camisetas precisa escrever “camiseta” no nome do produto, listar seus atributos e descrevê-la adequadamente a seguir.

SEO focado em vendas

Outro ponto interessante é o impacto negativo que gurus de SEO tem tido no trabalho de SEO. Os lojistas estão executando estratégias para conteúdo, em especial pesquisa de palavras-chave com maior volume e menos concorrência e deixando de lado oportunidades mais rentáveis.

Vi o caso de uma loja que executou uma estratégia de conteúdo e com isso possui uma determinada página com mil visitas por dia de pessoas sem condições de comprar seu produto.

Minha recomendação nesse caso também foi bem simples “só invista tempo em conteúdo depois que seus produtos e categorias estiverem ótimos”. Ao fim e ao cabo, uma página de conteúdo só faz sentido se trouxer vendas. Então que se foque antes em trazer tráfego para seu detalhe de produto!

Google Search Console não é um bicho de 7 cabeças

O painel de busca do Google às vezes é ameaçador para alguns lojistas, mas basta alguma conversa e eles se tornam melhores amigos! Isso porque a interface força alguns enganos comuns.

Cliques não são necessariamente competitivos! De que adianta dobrar o tráfego orgânico de uma loja se a única busca que ela aparece é seu próprio nome? Para tirar interferência do trabalho de branding (que também é muito valioso!) vá em Desempenho, no filtro por Consulta e escolha consultas sem o nome da loja.

CTR alto não é necessariamente bom! Outra armadilha é avaliar apenas o CTR (ou taxa de cliques). Considero um CTR muito elevado sinal de que a loja não está competindo em termos muito interessantes. Algo entre 2 a 4% já é bom para uma página competitiva.

Posição média alta não é algo bom! Novamente, uma posição média alta no geral significa que a loja não está competindo. É preciso acompanhar a posição média na palavra-chave (ou consulta) e não no URL.

Otimização é um diferencial imenso

Outra descoberta foi o impacto de um pouco de otimização em lojas que até então só tinham buscas por sua própria marca. Faz muita diferença!

Uma loja em particular aumentou em 5 vezes as vendas de um produto, mês a mês, apenas otimizando a página de produto!

Outra loja conseguiu emplacar alguns link na 1ª página de uma busca por categoria (foram algumas variações) e está tendo vendas com CPA zero, sendo que antes precisava pagar o Google e Facebook para vender.

Outro dos clientes agora está com 2 links na 1ª página da busca por sua categoria e, embora seja algo bem nichado, estas posições lhe garantem 15% do faturamento mensal. São vendas que a loja não tinha antes, conquistada trabalhando apenas com orientação.

Roteiro básico de SEO para E-commerce

Com base nessa experiência recomendo o seguinte roteiro para fazer SEO para E-commerce:

  • Tenha o Google Analytics e Search Console em seu site
  • Descreva com clareza e extensão seus produtos e categorias
  • Otimize PRIMEIRO os produtos e categorias com maior chance de gerar vendas
  • Controle semanalmente os indicadores do Google Search Console

Por Daniel Bender

 

 

 

Facebook recebe multa bilionária e uma série de restrições sobre o que pode ou não fazer

Mais um recorde para o Facebook. Mas dessa vez em multa!

 

fb-hero-image-001

 

A rede de Mark Zuckerberg recebeu uma multa no valor de 5 bilhões de dólares pela Federal Trade Commission (FTP), como parte de um acordo sobre as acusações de que a rede estaria manipulando indevidamente os dados dos usuários.

A multa é um número recorde para a FTP em casos de violação de privacidade de consumidores e se refere ao escândalo da Cambridge Analytica, no qual dados de mais de 50 milhões de usuários do Facebook foram indevidamente obtidos por uma empresa política de análise de dados.

Além da multa, a FTP também está impondo uma série de regulamentações dentro do Facebook para a proteção dos usuários.

 

ftc_portuguese-dark.png

 

Vamos ver algumas delas:

  1. O Facebook deve ter uma maior supervisão sobre os aplicativos de terceiros.

Esse que foi o principal problema da plataforma com a Cambridge Analytica, que obteve informações dos usuários sem qualquer restrição do Facebook.

  1. O Facebook é proibido de usar números de telefone obtidos para ativar um recurso de segurança, como a autenticação de dois fatores, por exemplo, para fins de publicidade.

Esse número de telefone está sendo dado sob o pretexto de segurança e, portanto, o Facebook está sendo obrigado a não usar esses dados para obter ganhos financeiros (como publicidade).

  1. O Facebook deve fornecer uma notificação clara e visível de seu uso da tecnologia de reconhecimento facial e obter o consentimento expresso do usuário.

A partir de agora a plataforma deve alertar os usuários quando o software de reconhecimento fácil é utilizado.

  1. O Facebook deve estabelecer, implementar e manter um programa abrangente de segurança de dados.

Segundo Mark Zuckerberg em nota oficial, será criado um novo comitê de privacidade dentro do conselho do Facebook.

  1. O Facebook deve criptografar as senhas dos usuários e varrer regularmente para detectar se as senhas são armazenadas em texto puro.

Essa é uma medida interna para que os funcionários da empresa não tenham acesso a senhas dos usuários e externa para que hackcers não consigam recuperar a senha armazenada sem criptografia.

  1. O Facebook é proibido de pedir senhas de e-mail para outros serviços quando os consumidores se inscrevem em seus serviços.

A plataforma sempre busca identificar o usuário e uma das maneiras de fazer isso é usar serviços de terceiros que já tenham verificado a identidade de uma pessoa. Como pedir informações de login do Google, por exemplo. Agora a FPT diz que o Facebook não tem permissão para pedir essas informações de login dos usuários.

Fim dos likes no Instagram? Veja dicas para se adaptar a essa nova fase

Texto:

Instagram tirou os likes? Sim, tirou.

Isso muda a interação dentro da rede? Não. Confira algumas dicas que a gente preparou para vocês saberem como se adaptar à essa nova fase.

Já iniciada no Canadá, a ação de tirar a visualização dos likes para os seguidores tem o objetivo de diminuir a competição dos usuários pelos números e focar mais em engajamento por comentários, reposts e interações por mensagens.

Deixando assim para que se foque cada vez mais em um conteúdo de boa qualidade e que gere curiosidade na audiência. Confere só essas dicas:

  1. Faça posts com pergunta para a audiência para que os usuários queiram interagir
  2. Voltar para o Facebook, lá tem likes e é importante estar nas duas redes
  3. Utilize mais os stories fazendo enquetes perguntando o que a sua audiência quer ver no feed.
  4. Destaque os stories para fazer com que o usuário entre no feed.
  5. Use o IGTV já ele publica diretamente no feed.

Dá uma olhada no vídeo que a Mari fez sobre o assunto.

Ah e vale lembrar que os likes continuam aparecendo para o usuário da publicação. Só não aparece para os seguidores.

Fale com a Plin que é especialista em planejamento de marketing e pode ajudar você a posicionar melhor as suas campanhas.

Contato:

comercial@plindigital.com

WhatsApp 51 9 9455 9255

 

A catarinense que tem mais tempo de estrada

A Neoway foi fundada quando dados ainda não eram considerados ouro e o termo Big Data ainda não havia sido reconhecido. Foi em 2002, em Florianópolis, Santa Catarina. Jaime de Paula usou toda a expertise no setor para auxiliar empresas como  Unilever, Suzano e Unimed. Hoje, a veterana canditada a unicórnio, tem soluções personalizadas a oferecer e uma plataforma de SaaS para análise e inteligência a partir de dados.

Em fevereiro deste ano, a Neoway galopou em busca do seu crescimento ao adquirir a startup de marketing digital Sevennova. Sua meta é crescer de 50 a 75% no ano.

Conheça a Neoway: http://bit.ly/2ZkypfY.

 

 

neoway

Unicórnios brazucas: quem é quem no páreo

Algumas publicações atrás, iniciamos uma série que apresentou aquelas startups que alcançaram a meta de avaliação de U$ 1 bi o título de Unicórnio.  A partir de hoje, vamos falar daquelas que podem chegar a esta marca este ano.  Acompanhem!

A Creditas foi fundada em 2012, em São Paulo, por Sérgio Furio. Até 2017 operou com o nome de BankFacil, fornecendo produtos relacionados a crédito com garantia imobiliária ou automotiva.  Pode se tornar Unicórnio em 2019 depois de um crescimento de 2016 para 2017 de 700% de sua receita, de 2017 para 2018 de 500%.

Uma curiosidade a respeito da Creditas:  Furio chegou ao Brasil sem falar português e a decisão de investir aqui foi por saber que as taxas de juros no país chegavam a 200% ao ano.  Saiba mais sobre a Creditas aqui http://bit.ly/2ZbFaAC.

 

creditas

Conheça o unicórnio que mata a sua fome

O marketplace online de entrega de comida iFood é brazuca e unicórnio desde novembro do ano passado.  Seu controle foi adquirido pela holding brasileira Movile, em 2014. O aplicativo criado em 2011 com sede em São Paulo, tem como fundadores Eduardo Baer, Felipe Fioravante, Guilherme Bonifácio e Patrick Sigrist.

Seu volume de uso é de 6 milhões de pedidos por mês e até 50 mil usuários simultâneos nos finais de semana. Quando bate a fome, também conhecido como horário de pico, são 50 pedidos por segundo.

Para conhecer mais sobre o iFood, clique aqui http://bit.ly/2Jb4t1S.

 

ifood

Arco: o Unicórnio que veio do Ceará

Foi sem estardalhaço que a holding Arco Educação se tornou Unicórnio, quando em 2018, abriu seu capital na Nasdaq. Sua fundação data de 2006 e a empresa é dona da Plataforma de Ensino SAS e que providencia soluções turnkey, prontas para uso por outras instituições.
Apesar da origem cearense, a Arco Educação tem sede em São Paulo e foi fundada por Ari de Sá Neto. Hoje a empresa atende quase meio milhão de alunos em mais de mil escolas particulares.
Para saber mais sobre a Arco Educação, clique em http://bit.ly/2Vc1z3c.

 

arco