Transparência nas redes sociais: estudo revela que clientes são mais leais às empresas transparentes

Estudo revela que clientes são mais leais às empresas transparentes nas redes sociais

Estudo revela que clientes são mais leais às empresas transparentes nas redes sociais

Em tempos de conexão 24 horas com as redes sociais, os consumidores passaram a esperar mais transparência das empresas do que de políticos, amigos ou até de si mesmos. A constatação ocorreu a partir de um recente estudo divulgado pela empresa norte-americana Sprout Social.

Divulgado pelo site Martech, o relatório Mídia Social e Evolução da Transparência entrevistou mil consumidores dos Estados Unidos e descobriu que a maioria esmagadora (86%) acredita que a transparência é a característica mais importante para as empresas na atualidade.

Esses consumidores definem a transparência como sendo aberta (59%), clara (53%) e honesta (49%). O relatório aponta que os clientes são mais leais às empresas que apresentam essas qualidades e estão dispostos a se afastar daquelas não têm.

Por exemplo, 89% dos entrevistados estão dispostos a dar uma segunda chance às marcas transparentes depois de uma má experiência, e 85% estão dispostos a permanecer com elas mesmo após uma crise.

As apostas são ainda maiores para as empresas quando se trata de suas ações nas mídias sociais. Mais da metade dos consumidores entrevistados (53%) dizem que provavelmente consideram uma marca transparente em termos sociais para sua próxima compra. Em contrapartida, a falta de transparência pode levar 86% dos clientes a não escolher a marca.

Outro dado interessante é que 81% dos consumidores afirmam que as empresas têm a responsabilidade de ter transparência nas redes sociais – um percentual mais alto do que o estabelecido para políticos, amigos ou até para si mesmos.

 

Consumidores passaram a esperar mais transparência das empresas do que de políticos, amigos ou até de si mesmos.

Transparência nas redes sociais

O relatório aponta que “o aumento da responsabilidade eleva o papel transparente e autêntico da estratégia social nas relações bem-sucedidas entre a marca e o consumidor”. Contudo, acrescenta que as partes interessadas precisam conectar os pontos.

O estudo destaca que muitas empresas ainda não compreenderam o valor da transparência nas redes sociais para sua comunicação com os clientes:

“As empresas precisam aceitar o fato de que a maioria das pessoas espera ter relacionamentos e comunicação com marcas que alimentam um senso de conexão pessoal e direta. A natureza “sempre ativa” do social coloca pressão sobre as empresas para se comprometerem com a transparência antecipadamente, em vários formatos e em tempo real”.

Se você busca construir uma relação sólida e duradoura com os seus clientes, a Plin Digital sabe exatamente como te ajudar. Curta a nossa página no Facebook e venha conversar com a gente!

Anúncios

Com marketing de conteúdo as empresas também podem prospectar negócios

É hora do almoço, mas em vez de bater papo com colegas ou ler o Twitter, você engole um sanduíche na sua mesa mesmo e participa de um webinar de 60 minutos oferecido por uma empresa de consultoria.

Os consultores esperam que, ao terminar o webinar (e o sanduíche), sua empresa esteja mais propensa a comprar os serviços que oferecem. É isso que acontece? Ou teria sido mais eficaz os consultores mandarem um representante para ministrar um workshop na hora do almoço ou convidar você para um seminário com patrocínio?

O webinar é quem ganha, de acordo com uma nova pesquisa de Bobby Calder, professor de marketing na Kellogg School, e Wei-Lin Wang, Edward Malthouse e Ebru Uzunoglu, todos do Centro de Pesquisa Spiegel da Medill School.

Em um estudo de marketing de conteúdo em empresas que atuam no ramo de “business-to-business”, os pesquisadores descobriram que as ofertas digitais, como webinars, folhetos informativos e blogs de marcas, são ferramentas valiosas que resultam em mais prospectos de negócios e, em última análise, em mais vendas do que as que ocorrem em eventos de marketing de conteúdo presencial, como conferências, workshops e mesas redondas.

Teste da eficácia das atividades B2B de marketing de conteúdo

O marketing de conteúdo, ou CM, explodiu na última década, pois os profissionais de marketing estão cada vez mais cientes de que a publicidade tradicional não retém a mesma importância que costumava ter e que o CM é uma ferramenta que atrai os clientes atuais.

Assim, as marcas e as empresas se voltaram para o CM, usando de tudo, desde questionários patrocinados em sites com alto índice de tráfego, como o Buzzfeed, até eventos corporativos chamativos, como o Festival de Culinária, Ideias e Música da Chipotle.

Embora um número cada vez maior de pesquisas demonstra a eficácia de esforços de marketing de conteúdo como esses em empresas voltadas para o consumidor, compreende-se menos o papel do CM em empresas B2B. A pesquisa de Calder não só valida os investimentos que grandes empresas como a GE e a IBM criaram no marketing de conteúdo B2B, como também é a primeira vez que se testa a eficácia de diferentes tipos de atividades de marketing de conteúdo.

O poder do marketing de conteúdo digital

Uma empresa líder em consultoria forneceu aos pesquisadores os dados de eventos realizados entre 2013 e 2016. O conjunto de dados incluiu 1.203 eventos digitais e 919 presenciais. A empresa também compartilhou informações sobre as contas comerciais com as quais trabalhou, incluindo cargos de mais de 160 mil funcionários de 784 grandes contas convidados a participar dessas ofertas de CM, bem como informações sobre quase 50 mil oportunidades de vendas associadas às contas.

Os pesquisadores reuniram informações sobre quais funcionários participaram dos eventos presenciais e sobre os funcionários e as contas que acessaram os materiais digitais do prestador de serviços.

Assim, os pesquisadores puderam realizar uma “corrida” estatística, diz Calder, depois de controlar fatores como a proximidade geográfica entre o prestador de serviços e a conta, o tempo da relação comercial entre os dois participantes da interação e as tendências econômicas mais relevantes que poderiam afetar os resultados das vendas.

O envolvimento dos funcionários da conta com as oportunidades de CM digital resultou em mais prospectos de vendas e mais vendas concluídas, conhecidas como oportunidades conquistadas. Porém, para a surpresa de Calder, os eventos de CM presenciais pareciam não influenciar os prospectos de negócios ou as oportunidades conquistadas.

Calder acredita que isso acontece porque participar de um evento presencial frequentemente exige muito mais tempo dos funcionários da conta, que pode parecer mais fardo do que benefício: você precisa deixar sua mesa, deixar de lado outras tarefas por um tempo, e talvez viajar para chegar até o evento. Uma vez estando lá, é fácil se distrair com os aspectos sociais do encontro, tais como coquetéis, bate-papo, networking e se esquecer da empresa que patrocinou o evento.

Em contrapartida, se estiver assistindo a um webinar durante o horário de almoço, você pode ter uma sensação mais forte de que a empresa patrocinadora está “fazendo algo por mim”, diz Calder.

Esses resultados apontam para o enorme poder do conteúdo de mídia como um fator de influência no comportamento.

O poder do marketing de conteúdo digital “faz mais sentido do que se poderia imaginar”, explica Calder.

Marketing de conteúdo deve atingir toda a hierarquia

Outro dado importante obtido pela pesquisa: é importante segmentar o CM entre os funcionários de contas juniores e intermediários, não apenas os executivos.

Embora os funcionários de alto nível tenham contribuído mais para o aumento das vendas, os pesquisadores descobriram que os funcionários de contas em todos os níveis ajudaram a aumentar os prospectos quando o CM digital contou com a sua participação.

Os pesquisadores observam que o envolvimento somente dos funcionários de alto nível resultou em um aumento nas oportunidades conquistadas, mas isso não significa que os profissionais de marketing devam ignorar aqueles que estão abaixo na hierarquia: é provável que os funcionários de alto nível atuem com base no aconselhamento dos mais juniores quando fecham contratos. E, em alguns anos, quando esses funcionários juniores forem promovidos, você vai querer que eles tenham um vínculo positivo com sua empresa.

O fim do conflito entre marketing de vendas

Calder acredita que a pesquisa aponta para um caminho em que o marketing de conteúdo pode ajudar a eliminar o atrito entre vendas e marketing, o qual é generalizado em muitas empresas de B2B.

É comum os vendedores se sentirem frustrados com os esforços de marketing e reclamarem que os profissionais de marketing não agregam muito valor no ambiente de B2B. Os profissionais de marketing, por sua vez, frequentemente culpam o trabalho hesitante dos vendedores pelos resultados ruins.

Esta pesquisa, entretanto, sugere que os profissionais de marketing têm um papel importante a desempenhar na geração de prospectos de negócios, uma função que pode complementar as vendas.

Os clientes querem conteúdo de alto valor, e já não é suficiente os vendedores fornecerem uma brochura do produto como informação adicional. Por isso Calder sugere que os profissionais de marketing se concentrem no desenvolvimento de um forte portfólio de ofertas de conteúdo on-line.

Texto adaptado do site da Kellogg School of Manegement.

Marketing digital 2018: as principais tendências

A evolução das capacidades dinâmicas afetarão o modo como os comerciantes se conectam e envolvem clientes e prospects através do Marketing digital 2018.

Em 2017 o Marketing Digital viu inúmeras mudanças acontecer, e estas mudanças influenciaram em muito os meios de divulgação digitais.

Desta forma, separamos para você entender as 5 principais tendências que vão influenciar o marketing digital 2018

Tendências de Marketing Digital 2018 em Redes Sociais

As mídias sociais continuam a surpreender e impressionar todos os dias. Especialmente com as mudanças contínuas em seus algoritmos, não é tão fácil quebrar o código para obter um bom buzz.

No entanto, acompanhando esta evolução é visto de forma clara certas tendências que estão aqui para ficar  no mercado de Marketing Digital 2018 e redes Sociais.

Histórias Instagram

Constatemente o Instagram lance novas opções, porem todas estão sendo voltadas as histórias do Instagram e por um motivo claro: Elas cairam no gosto do povo!

Em apenas um ano, Instagram Stories está sendo usado por 200 milhões de pessoas por mês.

Dada a taxa em que sua popularidade está crescendo, certamente a prioridade orgânica deve alcançar mais usuários na rede sociais em 2018.

Influenciador de Marketing

O novo alvo é os Digitais Influencers. Com 67% dos profissionais de marketing que planejam aumentar seus orçamentos de marketing influenciadores no próximo ano, é certamente algo que vale a pena pensar.

Os influenciadores sociais podem ser extremamente benéficos ao expandir seu alcance e transmitir sua mensagem ao público-alvo. Porque o marketing do influenciador não é agressivo como anúncios tradicionais, a mensagem da sua marca também aparece com mais credibilidade.

Ao se conectar com influenciadores relevantes e criar um relacionamento de longo prazo com eles, você pode obter retornos incríveis.

Apenas tenha cuidado na hora de avaliar, pois existem muitos Fakes (principalmente no Instagram). Caso você não saiba como fazer, contrate uma agência de marketing digital para ajuda-lo

Vídeos ao vivo

Outra tendência de mídia social que você deve definitivamente alavancar em 2018: vídeos ao vivo.

De acordo com algumas ideias surpreendentes reveladas pelo Facebook, as pessoas passam 3 vezes mais tempo assistindo vídeos ao vivo do que os pré-gravados.

O envolvimento em vídeos ao vivo é 10x maior e ajudam muito as empresas a aumentar drasticamente seus seguidores sociais e seu engajamento tornando-as mais visíveis na internet.

Super otimização de sites para mecanismos de pesquisa – SEO

O óbvio precisa ser dito, porem com um alerta importante: O Google já anúncio mudanças novas em seu algoritmo de avaliação.

Na pratica cada vez mais os sites vão precisar receber boas referências de outros sites, a chamada estratégia Link Building, e vão precisar aumentar ainda mais a experiência positiva de um site.

Estar no Google bem posicionado, todos sabemos que pode mudar a vida de um negócio. E com a esta priorização do Marketing Orgânico, aumentará a competitividade para chegar nos Trends tops de pesquisa.

Novas ações impositórias do Google: AdSense e Android

A gigante não esta mais para brincadeira em relação aos parceiros anunciantes.

Agora, a Google quer impor restrições importantes nos contratos do Google AdSense limitando a exibição de anúncios de pesquisa dos concorrentes do Google.

Isso poderá impactar muito a forma como blogs e portais ganham dinheiro com a internet.

A outra imposição gira em torno dos requisitos de contrato para fabricantes de telefones Android. A empresa esta obrigando a pré-instalar da pesquisa Google e o navegador Chrome como padrão de serviço de pesquisa.

Na prática isso aumentará o uso do mecanismo e reduzir ainda mais a participação de concorrentes do segmento. Ou seja: O Google vai dominar o mundo!

O duopólio Facebook e Google nos anúncios continuará a reinar sobre observação pesada dos anunciantes.

Em 2017 o Facebook festejou um número absurdo de erros de  medição e relatórios. Relutantemente ele começou a aceitar o fato de sua plataforma ter tido algumas desinformações importantes.

Já o Google enfrentou seus próprios desafios com resultados de pesquisa ruins em 2017 e um alvoroço ao permitir que anúncios aparecessem ao lado de conteúdo altamente censurável, lucrando com anúncios em sites com informações falsa, discurso de ódio e teorias de conspiração.

Porem, apesar de tudo que o duopólio sofreu, sua dominação na indústria de anúncio continuará ativa porem sobre forte supervisão dos grandes anunciantes, fazendo-os ser mais responsáveis em 2018 com isso tudo.

Publicidade cada vez mais personalizada

O universo de dados capturados de usuários (as) tornam o mundo do marketing digital 2018 e de anúncios um universo cada vez mais personalizada em 2018.

O uso de dados de audiência não é por si uma novidades, mas agora é generalizado em todos os modos de publicidade digital, permitindo que as marcas faça super segmentações do seu público, usando para isso listas de e-mails, dados de fanpages, dados de acesso a sites, entre outros e tudo para aumentar o seu faturamento com marketing digital.

Assim, os editores estão buscando soluções e modelos para agrupar recursos de dados em busca de fornecer oportunidades publicitárias segmentadas e assertivas, tendo maior escala do que (talvez) eles mesmo possam por conta.

Formatos Interativos de anúncios

Pegando o gancho sobre a personalização de anúncios, e trabalhando em conjunto, os formatos de anúncios interativos terão um forte crescimento, tendo como principal objetivo e aumentar o engajamento do usuário e a interação com estes, segundo a Agência Procurada.

Marketing baseado em pessoas

O objetivo da publicidade sempre foi o mesmo: alcançar a pessoa certa, no lugar certo, na hora certa, com a mensagem certa, a fim de gerar resultados comerciais reais.

No entanto, com o avanço de tecnologias como o celular, o tempo e a atenção das pessoas tornaram-se cada vez mais fragmentados, dificultando para os profissionais de marketing o trabalho de determinar quando, onde e qual é a melhor forma de alcançar as pessoas. Por esses motivos, os planejadores e estrategistas têm hoje a complicada missão de determinar a direção na qual planejar e otimizar suas mídias de forma mais eficaz.

O Facebook começou a observar que estratégias de marketing baseado em pessoas resultam em um melhor planejamento e medição em diferentes plataformas e dispositivos. Embora seja difícil mudar totalmente para esta estratégia hoje mesmo, há algumas maneiras de iniciar a caminhada de mudança e nos preparar para o futuro.

E o que torna o marketing baseado em pessoas diferente?

Vamos começar com um termo de comparação. Quando pensam em planejar para meios tradicionais (como TV, mídia impressa e publicidade externa), os profissionais de marketing observam as pessoas que compram um produto, classificam-nas em termos demográficos e, em seguida, procuram “o lugar certo” onde elas estão passando o tempo (ou seja, Programa A na Rede B ou Publicação Impressa C). O objetivo é encontrar o lugar certo para anunciar, mantendo todo o resto constante.

Da mesma forma, para o planejamento digital, os profissionais de marketing primeiro encontram seu público-alvo, mas agora podem ser mais específicos. Por exemplo, podemos procurar adultos com idade entre 18 e 34 anos, com interesse em café e que morem em Ohio. Então, podemos mostrar anúncios a pessoas desse grupo onde quer que elas estejam na Internet. O objetivo aqui é encontrar o grupo certo de pessoas, mantendo todo o resto constante.

Com o marketing baseado em pessoas, os profissionais de marketing não mantêm nada constante. Agora, podemos encontrar uma pessoa, em vez de grupos grandes como “Adultos de 18 a 34 anos” ou “pessoas que gostam de café” e alcançá-las em qualquer dispositivo ou plataforma que elas estejam usando. Isso porque, hoje, o alcance e a atenção estão fragmentados entre diferentes dispositivos e plataformas. Todas essas variáveis serão alteradas com cada exposição, e planejar para as pessoas onde elas estiverem permitirá aos profissionais de marketing dimensionar e alcançar com eficiência o objetivo de mostrar o anúncio certo, para a pessoa certa, na hora certa.

Foto: Reprodução Facebook

Medição baseada em pessoas e planejamento em ação

Para planejar para pessoas, é necessário entender onde elas estão passando tempo e o impacto das diferentes estratégias de marketing. Medir os canais em silos limita sua visibilidade em relação ao impacto total dos seus esforços de publicidade. Os resultados da medição baseada em pessoas podem ajudar a orientar todo o ciclo de vida do marketing, em diferentes dispositivos e canais. Com os dados e ferramentas baseados em pessoas, os profissionais de marketing podem vincular ações diretamente a pessoas reais onde quer que elas estejam, e podem preencher as lacunas de medição existentes em medições tradicionais baseadas em cookies, que não capturam a jornada completa do consumidor.

Os relatórios baseados em cookies distorcem os resultados da campanha e desperdiçam o dinheiro investido em anúncios

Representação excessiva

As Ferramentas de medição do Facebook, por exemplo, são baseadas em informações de pessoas e oferecem aos profissionais de marketing a capacidade de medir campanhas dentro e fora do Facebook, em desktops e em dispositivos móveis, e em qualquer ambiente online. Ao observar a atribuição e o alcance, essa abordagem garante aos profissionais de marketing uma visão holística de seu desempenho de publicidade, algo que antes não era possível.

Planejando com as pessoas em primeiro lugar

Os resultados de medição não devem ser isolados ao final da campanha, com a medição baseada em pessoas, você pode orientar todo o processo de planejamento da campanha para dar suporte às decisões desde o princípio. Com uma melhor percepção sobre onde estão as pessoas, e uma compreensão do canal ou do desempenho de mídia da plataforma, podemos alcançar as pessoas certas onde quer que elas estejam, para capturar o impacto de maior potencial.

Planejar para pessoas

Use as informações obtidas por meio da medição baseada em pessoas para planejar suas campanhas, alcançar as pessoas certas, na hora certa, e gerar melhores resultados comerciais.

O que a internet das coisas poderá fazer pelo marketing digital?

O próximo grande game changer do mercado é sem dúvida a Internet das Coisas (IoT). Há uma verdadeira revolução por traz dessa tecnologia, e seu impacto será sentido em todos os aspectos da interação humano X máquina, e até mesmo humano X humano. As possibilidades são imensas, e o marketing digital não ficaria de fora.

Para os leigos no assunto, a IoT interliga diversos aparelhos eletrônicos através de tecnologia sem fio e uma linguagem única de decodificação dos dados multiplataforma. Ela basicamente coleta informações sobre uso de vários dispositivos, compartilha essas informações entre os aparelhos, e fornece um big data capaz de ser usado para solucionar problemas, fornecer maior conforto e segurança, além de ampliar a interação humana.

Mas como o marketing digital poderá se beneficiar desta nova relação que nos conduzirá a um novo estágio da internet, a web 3.0? O maior bem que se pode ter para uma estratégia eficaz no marketing digital é a informação, primeiro para conhecer as preferências do seu público e em seguida para disponibilizá-la. É nisto que a internet das coisas se apoia no compartilhar das informações entre os diferentes dispositivos e objetos, para facilitar a nossa rotina diária.

Entenda o novo uso de data analytics

O principal foco da IoT é coletar informações a respeito da vida das pessoas e utilizá-las de forma inteligente. E esse processo já está acontecendo diariamente, com as pessoas que, de alguma maneira, acessam a Internet.

Isso porque o perfil do usuário de qualquer aplicativo, mecanismo de busca ou rede social já pode ser mensurado e gerido a fim de que se transforme em peças de Marketing Digital.

Em outras palavras, o Marketing Digital usará mais dados para proporcionar mais ofertas e estratégias ao seu público. Mas, cuidado para não ser invasivo, agressivo ou ir diretamente ao produto a ser oferecido. Desde já, aprenda a seduzir seus clientes, leve até ele o que realmente ele quer saber e no momento certo.

Faça a automação nas redes sociais

As redes sociais, hoje, são o grande canal de Marketing da Internet. Mesmo aqueles que não são afoitos pela exposição de suas vidas utilizam as plataformas para manter contato com amigos, conhecidos, profissionais da área etc. As publicações nessas redes já são automatizadas. No entanto, a empresa deve programá-las. Geralmente se escolhe a data, o horário e a possibilidade de impulsar ou não cada um dos conteúdos que serão disponibilizados por sua marca. Desenvolva uma estratégia de conteúdo para suas mídias sociais, levando em conta a segmentação, contexto e momento.

Com a Internet das coisas, será possível o próprio sistema nutrir automaticamente as postagens de acordo com o rendimento e a aceitação das postagens anteriores, escolhendo o melhor conteúdo, horário, alcance e até mesmo quais os posts devem ser impulsionados.

E você, o que acha sobre estas mudanças? Está em dúvida de como fazer? Deixe a Plin ajudar você.

Os 4C’s do marketing digital x 4P’s do marketing

A forte massificação da internet a partir de 1990 promoveu um impacto no mix de marketing.

Com isso, o marketing evolui e essa evolução pode ser evidenciada pelo método dos 4 Cs do marketing, desenvolvido por Robert Lauterborn como um aperfeiçoamento da estratégia dos 4 Ps de McCarthy.

A característica mais marcante dos 4 Cs do marketing é o fato de ele considerar o consumidor. Isto é, se antes os 4 Ps diziam muito sobre o produto e focavam pouco no cliente, os 4 Cs do marketing surgiram para inverter esse processo.

Cliente

A orientação original do P de Produto estava, como o nome já indica, na empresa e não no público.

Hoje, o caminho ideal consiste em verificar qual necessidade não atendida existe no mercado e somente depois criar e oferecer uma solução, que pode até mesmo ser um MVP (Minimium Viable Product).

O foco muda 100% do produto para o cliente. Uma empresa precisa vender um produto ou serviço que atende exatamente aquilo que o consumidor precisa.

Portanto, conheça a sua persona, seus desejos, medos e objeções para oferecer uma solução quase personalizada.

Essa é a grande diferença entre o P de Produto e o C de Cliente.

Custo

O preço já não é mais o único valor inerente à compra de um produto ou serviço, sendo necessário levar em consideração o custo de oportunidade.

Ponha na balança tudo que o seu potencial cliente terá que investir para, no fim, usufruir do benefício que você oferece.

Isso inclui gastos com transporte até sua loja, estacionamento, pacote de internet, tempo envolvido no processo de compra, no uso do produto ou serviço e muito mais.

Comunicação

A comunicação no lugar do P de promoção, é cooperativa e não manipuladora, nem mesmopersuasiva.

Manter o diálogo aberto com os consumidores e potenciais clientes permite a criação de produtos e serviços muito mais alinhados a suas reais demandas.

Ao invés de interromper sua audiência para vender, você oferece conteúdo informativo e divertido, de forma gratuita, cria conexão, gera confiança e produz resultados muito superiores de vendas com investimentos expressivamente menores.

Conveniência

A conveniência implica que o produto deva estar disponível prontamente para os consumidores, exigindo que eles sejam oferecidos em diversos pontos de distribuição.

Confira nossa tabela:

QUATRO Ps ………………………… QUATRO Cs
Produto ………………………………..Valor para o Cliente
Preço ……………………………………Menos Custo
Praça (place) …………………………Conveniência
Promoção ……………………………..Comunicação

Nós da Plin priorizamos atender os 4Cs e os utilizamos como uma plataforma para o desenvolvimento dos 4Ps.

Deixe a Plin ajudar você/sua empresa?

 

Os benefícios do marketing digital

Quais os benefícios de fazer marketing digital bem feito? Acontece que, através de canais online de comunicação e redes sociais, clientes satisfeitos com seu negócio e com os benefícios obtidos com seu negócio provavelmente irão elogiar a empresa e publicar comentários positivos de suas experiências. Isso efetivamente traz novos consumidores e auxilia a empresa a construir um relacionamento longo e duradouro com seus clientes e potenciais clientes.

Entretanto, é necessário que se tenha cuidado! Da mesma forma que a internet e as redes sociais podem funcionar de forma positiva quando uma empresa tem clientes satisfeitos, os clientes insatisfeitos podem prejudicar e muito a reputação online da sua empresa caso tenham sido impactados negativamente com seus produtos ou serviços.

De acordo com o Viver de Blog, quem usa canais de marketing digitais pode medir com facilidade o impacto de cada um desses canais, como quantos visitantes de um site se tornam compradores, tornando possível identificar quais trazem mais resultados e por isso merecem maior investimento.

Através desses dados, você pode descobrir:

  • Quais canais possuem a melhor relação custo-benefício para a aquisição de clientes, baseando-se na taxa de conversão e no custo de aquisição de cada um desses leads.
  • Quais canais são mais eficientes não só para atrair consumidores, mas para gerar recompras (como o email marketing), criando uma base de clientes fiéis.
  • Quais consumidores demonstram maiores chances de comprar outros produtos seus de categorias superiores através do engajamento dessa parcela de clientes.

Se sua empresa ainda não descobriu os benefícios do marketing digital, procure-nos, vamos ajudar você!

 

O que é marketing digital?

Quantas vezes você já ouviu este termo – marketing digital? Quantas vezes já ouvi que você e sua empresa precisam investir no assunto? Quantas vezes você se perguntou sobre o que é marketing digital? Pois bem, a Plin vai ajudar você!

Marketing nada mais é do que criar uma conexão com um determinado público-alvo para identificar necessidades e desejos e oferecer as soluções mais adequadas.

E o que é o Marketing Digital? É a reunião dessas estratégias de marketing porém feitas de forma online.

O marketing digital também é o conjunto de atividades que uma empresa (ou pessoa) executa online com o objetivo de atrair novos negócios, criar relacionamentos e desenvolver uma identidade de marca. Dentre as suas principais estratégias estão o SEO, Inbound Marketing e o Marketing de Conteúdo.

Apesar de ter surgido há pouco mais de 20 anos, essa vertente do Marketing revolucionou a maneira como empresas comunicam com os consumidores.

O marketing digital consiste em estratégias de marketing aplicadas e adaptadas para a Internet e também para os dispositivos móveis, utilizando técnicas de comunicação para promover produtos ou serviços de forma rápida, significativa e personalizada.

Em outras palavras, o marketing digital é o conjunto de esforços ou atividades de marketing executadas por uma empresa com o objetivo de atrair mais consumidores, se comunicar com eles, criar um relacionamento mais próximo e, principalmente, construir uma identidade de peso no mercado.

Resumidamente:

Marketing Digital é promover produtos ou marcas por meio de mídias digitais.

Sua empresa ou você já trabalham com Marketing Digital? Deixe seu comentário.

Fralda Babysec Galinha Pintadinha – mais um case de sucesso da Plin


Lançar uma marca no universo digital para a Plin não é novidade nenhuma. Nós mesmos já contamos algumas histórias aqui.

Confira:

Meu Rango do Dia

Gustavo Machado

Agora é a vez de contar a história das Fraldas BabySec.

Nosso desafio, em parceria com a Zag Estratégias, era lançar a marca BabySec nas redes sociais a fim de promover a marca e também divulgar o lançamento da fralda Babysec Galinha Pintadinha.

As ações foram as seguintes:

– Site

Foi desenvolvida uma página com ações que permitisse que o internauta permanecesse por um alto tempo dentro do site. Foram criadas as sessões Chá de Fralda e Calculadora de Fralda.

– Facebook e SAC 2.0

Uma fan page exclusiva das fraldas Babysec Galinha Pintadinha foi lançada com conteúdo único. Além disso, a Plin também fez um plano de impulsionamento específico e definiu a linha gráfica dos posts.

Um tratamento especial para o InBox do Facebook e os comentários de clientes com dúvidas também foi desenvolvido. Assim, o primeiro contato com a página era o melhor possível, sem gerar impactos negativos.

– Blog

Um blog também foi criado para contar histórias das mães, dos bebês e da gestante. Também era um espaço para as clientes interagirem, tirarem suas dúvidas e até se apoiarem. O blog com conteúdo exclusivo trabalha com técnicas de SEO para melhor indexação do site.

– Digital Influencers

20 blogueiras nacionais que falam do assunto maternidade foram escolhidas para testarem as fraldas e contarem suas impressões em seus blogs. O índice de aprovação foi 100%.

Com essas ações a Plin conseguiu divulgar a marca satisfatoriamente e criar uma ótima experiência para os consumidores de fraldas descartáveis para bebês.

Você quer saber mais? Ligue para nós!

Para onde vai a internet em 2017, segundo Mary Meeker

Mary Meeker, conhecida como a deusa dos investimentos do Vale do Silício, divulgou essa semana seu mega-estudo anual chamado Internet Trends – relatório de tendências da internet mais aguardado pelo mercado.

De acordo com o estudo, aproximadamente metade de população mundial (3,5 bilhões) está conectada, no entanto, o ritmo de crescimento está estável. Isso ocorre porque a internet está atingindo o limite possível de sua expansão com o que temos hoje de base instalada de conectividade. O cenário é o mesmo quando se fala em smartphones.

Só nos Estados Unidos, os investimentos em publicidade digital seguem crescendo e atingiram, em 2016, 73 bilhões de dólares. Sendo que 50% desse investimento são feitos em mobile advertising. O ritmo acelerado de crescimento da publicidade já coloca o setor em linha com os investimentos em TV, por exemplo.

E os gigantes Google e Facebook seguem crescendo mais que a média dos demais players de mídia nos EUA.

Vendas no varejo

Já o Pinterest surgiu como um player importante para acelerar as vendas no varejo, graças às suas galerias de imagens.

O futuro da busca na web tende a ser mais por imagens do que por palavras. Voz também será outro mecanismo de busca que deverá crescer.

No varejo o que mais cresce é a tendência O2O (Online-to-Offline), ou seja, o consumidor encontra o que quer comprar na web e pega na loja, otimizando para ele e para o varejista toda a operação.

O e-commerce em geral segue crescendo. A tendência de loja por assinatura é outra que tende a crescer nos próximos anos.

Media

O streaming de vídeo e o vídeo on demand são tendências crescentes e Netflix catalisa a liderança mundial nesse segmento. Mas ainda seguem líderes disparados em streaming mobile o You Tube, seguido de longe pelo Facebook. O Snapchat lidera crescimento no chamado sub-segmento do conteúdo em vídeos curtos (short form), que também é uma tendência em rápida expansão.

Por fim, o estudo de Meeker joga uma luz na vertiginosa e impressionante capitalização e valorização das empresas líderes em tecnologia e da cena digital.

Confira toda a apresentação: