Unicef e Facebook criam robô que conversa sobre ‘pornô de vingança’ para ajudar vítimas

O Facebook e Unicef lançaram nesta segunda-feira (19) uma parceria para ajudar adolescentes que tiveram vídeos ou fotos íntimas expostas na internet, ou seja, foram alvos da chamada pornografia de vingança.

A rede social e o braço da ONU para criança e adolescente criaram um robô que usa o Messenger para conversar sobre o compartilhamento de imagens íntimas sem consentimento.

Para facilitar a conexão com adolescentes, as duas organizações deram rosto e nome para o robô: Fabi Grossi. Ela também é uma adolescente e tem uma história para contar: aos 21 anos, acabou de descobrir que o ex-namorado, com quem se relacionou por dois anos, vazou um vídeo íntimo dos dois. Assim como muitos jovens, ela:

* fala gírias;

* manda áudios (a narrativa de como ela soube do vazamento é feita assim);

* envia selfies (feitas no espelho do elevador mesmo);

* e tira fotos do que está vendo para explicar melhor um ponto.

Para dar cara e voz reais a ela, as organizações contrataram uma atriz. Do ponto de vista técnico, Fabi é um “chatbot”, um robô que usa serviços de mensagens para conversar com pessoas. Seu roteiro permite que ela bata papo durante 48 horas.

Apesar de ser programada para desabafar sobre o que acabou de descobrir, Fabi também está lá para ouvir e reagir a isso:

* Se percebe que está falando com uma vítima de pornografia de vingança, ela passa a falar menos de si e tenta entender em como pode ajudar;

* Se o interlocutor for alguém que ache que ela não se protegeu o suficiente e foi exposta por isso, passa a explicar porque é vítima e não descuidada;

* Se nota que do outro lado está alguém que já vazou conteúdo íntimo, Fabi explica como isso é nocivo e que ele pode ser responsabilizado judicialmente.

Sexting

A todos, ela dá dicas de como se precaver para que suas imagens íntimas não caiam na boca do povo da internet. E também orienta sobre como buscar orientação.

 

Facebook Brasil lança oficialmente sua marketplace


O recém-anunciado lançamento do Facebook Marketplace no Brasil gerou grande expectativa para quem atua no e-commerce brasileiro. O recurso, que já está disponível em mais de 40 países, visa facilitar todas as operações de compra e venda dentro da rede social e oficializar de vez essas atividades que já eram praticadas pelos mais de 550 milhões de membros do Facebook que entram no serviço em busca de grupos dedicados ao comércio.

A ferramenta oficializa de vez essas atividades que já eram praticadas pelos mais de 550 milhões de membros que visitam a rede social em busca dos Grupos dedicados ao comércio.

“Sabemos que as pessoas já usam o Facebook para comprar e vender entre elas em suas comunidades e, agora, estamos tornando esse processo mais fácil”, disse Karandeep Anand, diretor de gestão de produto do Marketplace.

Você poderá acessar a loja virtual pelo endereço facebook.com/marketplace; clicar em “Marketplace” na barra lateral do desktop; ou tocar no ícone de loja no iOS ou Android.

Como funciona?

Para vender, basta tocar no ícone de câmera e registrar fotos do seu produto, adicionando o título, descrição e preço.

Depois basta confirmar a sua localização e postar. Os interessados só precisam buscar pelo produto na plataforma, usando a localização GPS.

Ao decidir pelo item no Marketplace é preciso fazer uma oferta, com o valor que está disposto à pagar na negociação ou enviar uma mensagem para o outro usuário e combinar as informações de compra.

Para facilitar, há um histórico com os equipamentos anunciados por você e com os produtos negociados no Facebook.

Dicas de segurança para o Facebook Marketplace

O Facebook fornece algumas dicas de segurança para que a transação seja bem-sucedida:

* Encontrar o comprador/vendedor em um local público
* Fazer/receber o pagamento por meio de um intermediador (como o Paypal)
* Denunciar anúncios suspeitos
* Não negociar itens proibidos (como drogas, armas, animais, criptomoedas, etc).