Como a IBM está usando Big Data para criar receitas criativas

Croissant espanhol de amêndoas - receita criada a partir do sftware da IBM.

Croissant espanhol de amêndoas – receita criada a partir do software da IBM.

Os computadores constantemente se tornam mais espertos, mas eles podem ser tornar mais criativos? Um time de pesquisadores da IBM acredita que sim. Eles construíram um programa que usa matemática, química e uma vasta quantidade de dados para criarem novas e inusitadas receitas.

Para construírem o seu algoritmo, os pesquisadores basearam-se no processo básico de criação de novas ideias. Primeiro. Você precisa entender o problema que está tentando resolver. Depois crie expertise aprendendo tudo que você pode sobre o problema. Com este conhecimento, crie uma vasta gama de novas ideias e, até mesmo, combine diferentes tipos de ideias. Depois, separe as mais criativas do resto. Finalmente, implemente sua ideia. Embora os computadores executem muitos desses passos citados, a chave da compreensão do grupo IBM era encontrar uma maneira de medir quantitativamente a criatividade de uma receita.

Vamos ver como o Chef computacional da IBM ficou criativo utilizando os passos citado acima.

Passo 1: Defina o problema

Ao iniciar o programa, você é solicitado a escolher um ingrediente chave, escolha a culinária de algum país que gostaria de conhecer melhor, depois, selecione o tipo de prato que está interessado (uma sopa, um quiche, um assado etc).

Passo 2: Aprenda tudo que puder sobre o problema

É nesta parte que entraram os dados. Os pesquisadores usaram algoritmos de processamento de linguagem natural para digitalizar e analisar o texto de milhões de receitas diferentes. Usando esses dados, eles converteram uma receita escrita em uma teia de relações, incluindo as quantidades de ingredientes diferentes e os processos que transformam esses ingredientes na comida. Eles também examinaram a Wikipedia para saber quais ingredientes são comumente usados ​​em várias cozinhas regionais. Eles passaram por manuais de ingredientes de sabor para saber quais as moléculas estão presentes em diferentes ingredientes alimentares, e também incluiu informações sobre as estruturas químicas destas moléculas. Eles também incluíram dados sobre como os seres humanos classificariam a ‘agradabilidade’ de 70 compostos químicos diferentes.

No final, os pesquisadores tinham acumulado um vasto corpo informático de conhecimento sobre as preferências humanas de sabor, receitas regionais e sobre a química por trás dessas receitas.

Agora o programa está pronto para começar a cozinhar.

Passo 3: Gere ideias para resolver o problema

Começando com as receitas tradicionais de uma certa cozinha, o software gera milhões de novas ideias de receitas que correspondem as preferências do usuário. As receitas que são geradas respeitam uma regra empírica do princípio de emparelhamento de alimentos . Esta regra, diz que os ingredientes que combinam bem em uma receita, partilham moléculas de sabores semelhantes.

As novas receitas são geradas ‘mutando’ os ingredientes de receitas existentes e, em seguida combinando-os com outras receitas, resultando em todos os tipos de novas misturas.

Passo 4: Selecione as melhores ideias

O software irá selecionar as melhores receitas e as mais criativas. Mas como um computador pode decidir o que é mais criativo? Os pesquisadores adotaram uma métrica para isto, de que criativo deve ser novo e ter alta qualidade. Para isto o software recebeu dados para interpretar gostos e o cheiro, tudo com base na química, pois o programa passa por todas as diferentes moléculas de sabor. Todo este conjunto de cruzamento de dados pode prever a qualidade do sabor e o odor do prato, tentando evitar combinações já muito conhecidas, como por exemplo, a aplicação de mostarda ao cachorro quente. Da mesma forma que evita combinações muito inusitadas, o software jamais sugeriria uma receita de cachorro quente com chocolate, por exemplo.

Passo 5: Implemente sua ideia

Finalmente, o software gera uma lista de receitas classificando três categorias: surpresa, agradabilidade do odor e combinações de sabor.